«Infante à Lapa» em fase de comercialização

Por a 30 de Junho de 2006

infante

Condomínio privado, que representa um investimento superior a 50 milhões de euros, destaca-se pela qualidade arquitectónica e de construção, em pleno coração de Lisboa

O condomínio privado «Infante à Lapa», situado na Avenida Infante Santo, em Lisboa, entrou já na fase de comercialização, estando a sua construção concluída em 40 por cento.

Trata-se de um volume de negócios superior a 50 milhões de euros promovido pela Portbuilding, uma parceria constítuida entre a FDO e a SalemaQuintela..

O empreendimento «Infante à Lapa» será constituído por 90 apartamentos, com tipologias entre o T2 e o T5, que variam entre os 100 e os 300 metros quadrados, com o metro quadrado a rondar os quatro mil euros.

O «Infante à Lapa» terá oito pisos, com cinco entradas, três destas pela Avenida Infante Santo e duas pela travessa do Chafariz das Terras, à Lapa.

O empreendimento terá seis lojas de rua, com entrada pela Avenida Infante Santo, 200 lugares para estacionamento e arrecadações nos pisos subterrâneos.

O condomínio terá também uma oferta de amplos espaços verdes e de lazer, com uma piscina para adultos e outra para crianças, um parque infantil e vistas panorâmicas para o rio Tejo, margem Sul e toda a zona ribeirinha lisboeta.

O projecto do arquitecto Adriano Callé Lucas procurou tirar partido do declive que caracteriza o terreno e a vista, articulando-se em dois corpos em forma de «L» com sete e oito pisos de habitação, dos quais o primeiro é paralelo à Avenida Infante Santo e o segundo ao Aqueduto das Águas Livres.

O Aqueduto para além de ser uma referência do local, pelo valor patrimonial que representa, também proporciona enfiamentos visuais, segundo o comunicado.

O Chafariz das Terras, localizado ao cimo da Rua do Alto da Cova da Moura, pontua o início de um novo percurso pedonal ao longo do Aqueduto, que irá, com a conclusão do empreendimento «Infante à Lapa», permitir a ligação entre a Travessa do Chafariz das Terras e a Avenida Infante Santo, requalificando e valorizando o aqueduto, o chafariz e os espaços envolventes.

A qualidade arquitectónica e de construção, bem como o trabalho de concepção e de planeamento, são os pressupostos em que assenta o novo empreendimento.

A construção da obra teve o seu início em Maio de 2005 e prevê-se que esteja concluída dentro de dois anos.

PUB