Loja na Baixa do Porto transaccionada por 1,7 milhões de euros

Por a 4 de Maio de 2021


O comércio de rua e, em particular, a restauração são das áreas mais afectadas pelo confinamento e as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, mas ainda assim continuam a ser alvo de interesse por parte dos investidores. Exemplo disso é a transacção realizada em plena Baixa do Porto, através da qual um investidor privado de origem britânica adquiriu por 1,7 milhões de euros uma loja localizada no piso térreo de um edifício recentemente reabilitado na confluência da Rua Mouzinho da Silveira com o Largo de São Luís. O espaço comercial ocupa uma área de 207 m2 e está arrendado ao grupo de restauração Plateform (ex-Multifood).

A transacção foi concretizada pela consultora internacional Athena Advisers, que representou o comprador na sua primeira aquisição em Portugal, e a JLL que actuou em nome do proprietário da loja, igualmente uma entidade privada de nacionalidade portuguesa.

A loja está arrendada desde 2019 ao grupo de restauração 100% português Plateform, que abriu neste local o seu primeiro espaço da marca Castro – Atelier de Pastéis de Nata.

“Esta é uma transacção particularmente interessante, não apenas por vermos um privado a investir em produtos do sector comercial mas também porque o faz no segmento de retalho, um dos que mais tem sofrido com a pandemia. Isto revela que a confiança no imobiliário enquanto activo de investimento não foi abalada, pois mesmo em alturas de crise continua a apresentar retornos atractivos e comporta menos riscos que outras categorias de investimento. Denotamos, por isso, uma tendência crescente para a diversificação dos investimentos por parte dos privados, que começam a olhar para activos fora do residencial com tickets que podem chegar aos 10 milhões de euros”, afirma David Moura-George, director da Athena Advisers em Portugal.

Fernando Ferreira, head of Capital Markets da JLL, comenta que “os activos de comércio de rua bem localizados e arrendados a retalhistas sólidos vão continuar no radar dos investidores, mesmo na actual conjuntura em que as vendas e o footfall estão comprimidos devido à pandemia. Trata-se de um imóvel de excelência numa localização prime com um ocupante de referência na área do F&B, e um ticket de investimento muito adequado a um perfil como o dos investidores privados, que normalmente aloca de 1,0 a 10,0 milhões de euros. Do lado do nosso cliente, o balanço é muito positivo, pois tem uma estratégia de rotatividade da carteira desde início, estando já cativo na procura de novas possibilidades de investimento. Esta é, aliás, uma abordagem de mercado muito comum por parte dos investidores privados, o que confere bastante liquidez aos ativos em que investem”.

Esta zona, que agrega como eixo central as históricas ruas de Mouzinho da Silveira e das Flores, é um dos principais destinos comerciais no centro do Porto, conhecido por concentrar vários espaços de referência na área da restauração, de que são exemplo os restaurantes Cantinho do Avillez, LSD, Puro e Traça.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *