Edição digital
Assine já
    PUB

    Pedro Lancastre e Giuseppe Amitrano

    Imobiliário

    Pedro Lancastre nomeado o novo CEO da Dils em Portugal

    “A reputação e credibilidade de Pedro Lancastre no sector irão reforçar a nossa marca e contribuir significativamente para a evolução do nosso negócio”, afirmou Giuseppe Amitrano

    CONSTRUIR

    Pedro Lancastre e Giuseppe Amitrano

    Imobiliário

    Pedro Lancastre nomeado o novo CEO da Dils em Portugal

    “A reputação e credibilidade de Pedro Lancastre no sector irão reforçar a nossa marca e contribuir significativamente para a evolução do nosso negócio”, afirmou Giuseppe Amitrano

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    Absorção de escritórios revela dinamismo, com o Porto a apresentar o “melhor” resultado dos últimos cinco anos
    Imobiliário
    Norfin assinala 25 Anos com objectivo de “continuar a crescer” e a “diversificar o negócio”
    Imobiliário

    A Dils, grupo imobiliário de origem italiana, acaba de anunciar a nomeação de Pedro Lancastre como CEO para liderar as operações em Portugal. Uma nomeação que surge na sequência da recente aquisição da Castelhana, enquanto estratégia de internacionalização da Dils.

    Pedro Lancastre junta-se assim à Dils, trazendo consigo uma “vasta experiência” no sector imobiliário. Anteriormente, o responsável liderou a JLL em Portugal, uma das maiores consultoras imobiliárias do mercado português, onde desempenhou a função de CEO, tendo a seu cargo a responsabilidade máxima pelas operações e estratégia de negócio da empresa.

    Durante os doze anos do seu mandato, o responsável destacou-se pela sua capacidade de liderança e desempenho, bem como pelo comprovado sucesso na gestão de grandes projectos imobiliários, tendo contribuindo para impulsionar o crescimento e inovação do negócio.

    “Estamos extremamente satisfeitos por receber Pedro Lancastre no nosso grupo para liderar as operações em Portugal. O seu profundo conhecimento do mercado imobiliário português e a sua forte rede de contactos, posicionam-no de forma única para conduzir a futura expansão da Dils no País. Além disso, a sua reputação e credibilidade no sector irão reforçar a nossa marca e contribuir significativamente para a evolução do nosso negócio. O nosso objectivo é acelerar o crescimento no sector residencial e expandir a nossa área de actuação para serviços imobiliários comerciais, tais como escritórios, retalho, logística e hotelaria”, afirmou Giuseppe Amitrano, CEO da Dils.

    Já Pedro Lancastre considera tratar-se de uma “honra” à equipa da Dils. “Com a experiência e conhecimento da Dils, juntamente com a força e o legado impressionante da Castelhana, estamos prontos para acelerar a expansão no mercado e oferecer serviços de excelência aos nossos clientes. Acredito que a minha experiência no mercado imobiliário português permitirá reunir uma equipa de topo extremamente talentosa”, afirmou.

    Para Portugal, a Dils traz o seu modelo de negócio “único”, desenvolvido no mercado italiano, baseado no know-how orientado para a inovação e na capacidade de antecipar tendências do mercado. Este é um passo importante na estratégia de expansão europeia do grupo, que já inclui o mercado holandês e italiano e continuará com planos futuros para Espanha, Alemanha, França, Polónia e Reino Unido.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    PUB
    Engenharia

    Prospectiva fiscaliza projecto de gestão de resíduos na Mauritânia

    No âmbito da parceria estabelecida com o Ministério da Economia e do Desenvolvimento Sustentável da Mauritânia, a empresa vai realizar o acompanhamento, controlo e supervisão dos trabalhos de urbanização e infraestrutura de gestão de resíduos sólidos de Kiffa, situada no Sul, junto às fronteiras com o Senegal e o Mali

    A Prospectiva vai fazer o acompanhamento, o controlo e a supervisão dos trabalhos de urbanização e infraestrutura de gestão de resíduos sólidos de Kiffa, situada no Sul da Mauritânia, junto às fronteiras com o Senegal e o Mali e cujo projecto visa melhorar “significativamente” as capacidades de gestão de resíduos na cidade e melhorar a qualidade de vida dos seus residentes. A obra já está em desenvolvimento e terá uma duração prevista de 10 meses.

    Esta oportunidade, que surge através de uma parceria estabelecida com o Ministério da Economia e do Desenvolvimento Sustentável da Mauritânia, através da Célula de Coordenação do Projecto de Apoio à Descentralização e Desenvolvimento de Cidades Intermediárias Produtivas (MOUDOUN), destaca o compromisso da Prospectiva com o “desenvolvimento sustentável” e reforça a posição da empresa como “um elemento-chave” no campo da gestão de infraestruturas urbanas.

    O projecto envolve o desenvolvimento abrangente de instalações de gestão de resíduos, incluindo a construção de uma célula de aterro, um lago de evaporação de lixiviados e várias estruturas de apoio. Outros elementos do projecto incluem, ainda, a terraplanagem, construção de estradas de acesso e implementação de um sistema de vedação para garantir a segurança ambiental.

    Adicionalmente, as melhorias na infraestrutura abrangerão a instalação de uma estação de bombeamento de lixiviados, um tanque de armazenamento de água e vários edifícios operacionais, como um posto de guarda, escritório administrativo, sanitário público e uma grande área de triagem.

    As estradas internas dentro da instalação e um sistema fotovoltaico para fornecimento de energia também fazem parte do plano de desenvolvimento.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Nhood reforça área de Property & Asset Management

    Carlos Costa assume a função de director de Asset Management Iberia e Luís Arrais a função de director de Property Management Iberia

    A Nhood Portugal e a Nhood Espanha acabam de unir esforços para dinamizar uma das suas principais linhas de negócio. A área PAS (Property & Asset Management) é assim reforçada com a nova organização de Asset Management e Property Management, dois departamentos fundamentais para atingir os objectivos estratégicos 2024-2028. Nesse sentido, a empresa acaba de nomear Carlos Costa como director de Asset Management Iberia e Luís Arrais como director de Property Management Iberia. Ambos serão responsáveis pela definição da estratégia dos respectivos departamentos, tendo em conta a filosofia de triplo impacto positivo da Nhood (pessoas, planeta e lucro) e o equilíbrio dos usos mistos, promovendo a regeneração e transformação dos locais.

    Carlos Costa e Luís Arrais

    Sofia Ferreira de Almeida, responsável pela Nhood Portugal, e Teresa Verdugo, responsável pela Nhood Espanha, concordam que “com estas novas nomeações, a Nhood alcançará grandes êxitos e realizações, melhorando a qualidade dos activos geridos e reforçando a confiança que os clientes depositam na empresa. Para sermos líderes mundiais e referências na regeneração urbana, é estratégico fazer evoluir a organização e, com a integração destes novos perfis, estamos no caminho certo”.

    Carlos Costa integrou a Nhood em 2018, onde começou como director de Property e Leasing. Enquanto director de Real Estate em 2022, foi responsável pela gestão das áreas de Property e Asset dos adtivos da região sul de Portugal. Carlos Costa irá agora focar o seu conhecimento e capacidade de liderança nas equipas de Asset Management em Portugal e Espanha, criando sinergias e pontes de colaboração entre ambos os países.

    Já Luís Arrais tem quase vinte anos de experiência na gestão de centros comerciais. Iniciou a sua carreira na Multi Portugal, onde assumiu o cargo de director de Operações para Portugal. Nos últimos cinco anos, esteve na CBRE Portugal, onde foi director de Gestão de Centros Comerciais para a Península Ibérica.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Arquitectura

    Secção Regional dos Açores procura curadoria para exposição itinerante

    Pretende-se que a proposta vencedora seja “flexível e adaptável” a espaços com diferentes configurações e que o catálogo da exposição inclua os trabalhos expostos, mas também contributos de concorrentes, jurados e entidades promotoras”.

    A Secção Regional dos Açores da Ordem dos Arquitectos (SRAZO) promove, até 15 de Julho, o concurso para a “melhor proposta” de curadoria tendo em vista a realização da exposição itinerante: Concursos de Arquitectura. Além da curadoria, a equipa escolhida será, também responsável pela concepção do suporte expositivo e a elaboração do catálogo da exposição.

    Os trabalhos a integrar a exposição, que irá percorrer as nove ilhas do Arquipélago dos Açores, foram premiados e distinguidos no âmbito dos concursos de arquitectura a que a SRAZO prestou assessoria técnica e jurídica.

    Segundo as condições do concurso pretende-se que a proposta vencedora seja  “flexível e adaptável” a espaços com diferentes configurações e que o catálogo da exposição inclua os trabalhos expostos, mas também contributos de concorrentes, jurados e entidades promotoras”.

    O conteúdo da exposição itinerante incluirá integralmente os 20 painéis A1 dos trabalhos premiados e distinguidos, conforme foram apresentados pelos respectivos autores, bem como meios digitais com informações complementares, designadamente os cadernos A3 que fazem partes das propostas entregues a concurso e eventualmente os demais trabalhos que não foram premiados.

    A promoção desta exposição itinerante visa, por um lado, “promover e incrementar” boas práticas na aquisição de serviços de arquitectura na região, através da implementação de mecanismos que promovam “qualidade e sustentabilidade”, e, por outro lado, “sensibilizar os decisores políticos e a população”, no geral, para as vantagens que estes procedimentos concursais representam para a valorização do território e do património edificado e para a qualidade de vida, bem-estar e saúde dos cidadãos.

    A SRAZO, desde a sua criação em meados de 2020, através dos serviços de concursos assessorou a promoção de quatro processos concursais, nomeadamente, os procedimentos para a intervenção no Mercado de Vila Franca do Campo, para a intervenção no Miradouro Serreta, em Angra do Heroísmo, para a requalificação do Centro Histórico de Ponta Delgada, e para a requalificação da zona norte da Baía de Santa Cruz, Lagoa.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Projecto Agroparque (@CMA)

    Construção

    AIP e Almada realizam seminário sobre Agroparque que está a nascer na Costa da Caparica

    Entre as praias e a arriba, há 140 hectares de terrenos agrícolas que com este projecto ficarão interligados, promovendo-se o cultivo de produtos de uma agricultura de transição ecológica de confiança para serem consumidos, preferencialmente localmente, reduzindo o transporte e o consumo de energia

    A Câmara Municipal de Almada (CMA) e a Associação Industrial Portuguesa (AIP) vão realizar, no dia 28 de Junho, o Seminário Agroparque Terras da Costa e do Mar, na Costa da Caparica. O evento, que terá lugar no Convento dos Capuchos, e que é aberto à população em geral, tem como objectivo apresentar o projecto em curso para a criação de um Agroparque sustentável, desde o conceito ao trabalho de campo que está a ser realizado, assim como os diferentes projectos em curso.

    A AIP é um dos parceiros do Agroparque, sendo a entidade que está a executar o projecto no terreno, nomeadamente através da formação de dezenas de agricultores em agricultura biológica. Também a EDA – Ensaios e Diálogos Associação, o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e a FCT-NOVA – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa são outros parceiros do projecto.

    O Agroparque, insere-se numa proposta de requalificação territorial das Terras da Costa, garantindo um espaço mais integrado nos objectivos da área de paisagem protegida onde se insere, articulando com o novo PDM em revisão, através da estabilização de objectivos de produção agrícola e qualificação paisagística, e alavancando uma proposta de produção local através da criação de uma marca de identificação local, que valorize a frescura e a proximidade integrada nos objectivos metropolitanos da rede “Foodlink”, promovida pela AML e que ambiciona 15% de produção local na área metropolitana.

    A CMA está, através deste projecto, a transformar o território, procedendo ao realojamento de famílias desfavorecidas, demolição de construções ilegais indignadas ainda existentes, a descontaminação de solos, a criação de um edifício de apoio à produção local, a concretização de uma estrutura ecológica de continuidade, o arranjo de caminhos e a instalação de sinalética diferenciadora. Entre as praias e a arriba, há 140 hectares de terrenos agrícolas que com este projecto ficarão desta forma interligados, promovendo-se o cultivo de produtos de uma agricultura de transição ecológica de confiança para serem consumidos, preferencialmente localmente, reduzindo o transporte e o consumo de energia, aumentando a margem dos produtores e a frescura do produto para o consumidor.

    Este Seminário contará com a presença de representantes da Área Metropolitana de Lisboa (AML), Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), representante de Agroparque a nível internacional (Área Metropolitana de Madrid) e projectos nacionais inspiradores na área da agricultura de proximidade, da Docapesca para as questões da sustentabilidade do pescado, outra das vertentes do projecto que abraça os produtos locais do mar, e do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), entre outros.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Hotel Infante Sagres conclui renovação e junta-se à marca Hospes Hotels

    A remodelação foi elaborada pela Nano Design, uma empresa de arquitectura do Porto, que “reimaginou” o espaço, combinando tradição com elegância moderna através de uma direcção de design inspirada na Era dos Descobrimentos

    Após uma extensa renovação e reformulação abrangente do seu design, serviços e ofertas, o hotel de luxo localizado no coração do Porto juntou-se à marca Hospes Hotels. Este marco assinala o início de “um novo e emocionante” capítulo para o hotel, devolvendo-lhe “o estatuto de Grande Dame do Porto, e restabelecendo a sua posição de prestígio e elegância”.

    A remodelação foi elaborada pela Nano Design, uma empresa de arquitectura do Porto, que “reimaginou” o espaço, combinando tradição com elegância moderna através de uma direcção de design inspirada na Era dos Descobrimentos. Os interiores homenageiam o Infante D. Henrique, também conhecido como Infante Sagres, e “Os Lusíadas”, o histórico poema épico português de Luís Vaz de Camões.

    “Tratando-se de um hotel emblemático da cidade, acreditamos que era necessário um storytelling histórico e impactante que permitisse ter uma boa base para desenvolver o projecto de design de interiores. Associando o Infante de Sagres, impulsionador dos descobrimentos, à tão célebre epopeia “Os Lusíadas” de Luís Vaz de Camões, permitiu-nos navegar pela história de Portugal e fazer renascer a alma do hotel, enaltecendo a beleza da arquitectura existente daquele que foi o primeiro hotel de 5 estrelas do Porto”, afirmou Francisca Navio, fundadora da Nano Design.

    Ao entrar no Hospes Infante Sagres Porto, os hóspedes são recebidos por uma nova área de concierge, situada onde outrora esteve o lobby original do hotel, transmitindo um ambiente de verdadeira elegância. O espaço redesenhado apresenta materiais como veludo, porcelana e mármore.

    A renovação, que se prolongou por mais de 12 meses, incluiu a actualização de todos os 85 quartos e suítes, abrangendo os Superior, Deluxe, Deluxe Premium, Júnior Suite, Premium Suite e a Royal Suite e cada um inspirado em episódios famosos d’Os Lusíadas, como O Velho do Restelo, Ilha dos Amores, Consílio dos Deuses, Adamastor e Inês de Castro.

    Também as áreas públicas, fachada e área de recepção foram alvo de melhorias significativas. Além disso, o hotel possui três salas de eventos e reuniões, o Scarlett Brasserie & Wine Bar, e uma piscina exterior.

    A marca Hospes é conhecida pelo seu “compromisso” com experiências autênticas e património cultural, pelo que a integração do hotel no Grupo traz uma nova dimensão ao hotel.

    “Estamos entusiasmados por dar as boas-vindas ao Hotel Infante Sagres como a mais recente adição ao premiado portfólio Hospes, juntando-se ao nosso estimado grupo de 10 boutique hotéis de luxo com um legado de excelência. É uma honra fazer parte da revitalização do icónico Hotel Infante Sagres e elevá-lo a novos patamares, preservando a sua herança enquanto primeiro hotel de 5 estrelas a abrir no Porto, em 1951”, disse Manuel Olivares, CEO do Hospes Hotel Group.

    Também Jean Hélière, director-geral do Hospes Infante Sagres, destaca o “reposicionamento” do Hotel Infante Sagres que marca o seu regresso como o primeiro hotel de cinco estrelas do Porto.

    “É um privilégio testemunhar o renascimento do primeiro hotel de cinco estrelas do Porto e fazer parte da família Hospes. Localizado no centro histórico, reconhecido como Património Mundial da UNESCO, o hotel completamente renovado combina magnificamente luxo e tradição, refletindo os valores da marca Hospes e homenageando o património cultural português”, destacou.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Engenharia

    Directiva RED III acelera renováveis

    O ministério do Ambiente e Energia criou um Grupo de Trabalho para acelerar a transposição da Directiva Europeia RED III (Directiva Energias Renováveis) para a legislação nacional

    A Directiva RED III estabelece metas ambiciosas para aumentar a quota de consumo final bruto de energia proveniente de fontes renováveis para 42,5% até 2030, um aumento significativo em relação aos 32% anteriormente definidos. O Grupo de Trabalho, o qual conta com a participação da ADENE, tem o papel de assessorar o Governo na definição de políticas eficazes, na promoção de boas práticas no sector energético e na facilitação da implementação de novas tecnologias renováveis.

    Este Grupo de Trabalho irá, numa primeira fase, até dia 1 de Julho, preparar e apresentar propostas técnicas que permitam transpor para o ordenamento jurídico nacional disposições que agilizem o licenciamento de energia renováveis. Numa segunda fase, o Grupo de Trabalho terá como missão identificar as áreas temáticas e os diplomas que possam acomodar a transposição total da RED III, até 21 de Maio de 2025.

    A ADENE será um dos membros do Grupo de Trabalho na segunda fase, colaborando na preparação e apresentação de propostas técnicas para a transposição da Diretiva RED III. A ADENE terá também um papel relevante no apoio ao procedimento de consulta pública das propostas legislativas, incluindo a análise das pronúncias submetidas e a elaboração do respetivo relatório de consulta pública. Finalmente, é missão da ADENE neste Grupo de Trabalho a comunicação e a cooperação entre as diferentes entidades envolvidas.

    Recorde-se que a Directiva RED III é um quadro jurídico que estabelece o desenvolvimento de energias limpas, em todos os sectores da economia da União Europeia, que além do acelerar da produção de energias renováveis, determina, igualmente, que os Estados-Membros deverão fixar uma meta indicativa para tecnologias inovadoras de pelo menos 5%, dos 42,5 % de capacidade de energias renováveis instalada, até 2030.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Kerakoll lança nova gama de betumes decorativos

    Chama-se “Fugabella Living” e vem consolidar a presença da marca italiana no mercado nacional. Oferece 35 cores contemporâneas para o acabamento de superfícies cerâmicas e em pedra natural

    A Kerakoll Portugal lança mais uma novidade no mercado português, Fugabella Living. Trata-se de uma nova gama de betumes decorativos, complementada por uma linha de selantes, Silmat Color, para o acabamento decorativo em superfícies cerâmicas e em pedra natural.

    As gamas Fugabella Living e Silmat Color nascem do investimento da marca italiana em inovação, sempre com o foco de acompanhar o mercado em termos de tendências de design. O conceito dos produtos da Kerakoll para acabamento de superfícies tem por base um projecto de cor. Nesse sentido, as novas gamas apostam em 35 cores tendência internacional. Outro dos requisitos das novas soluções da Kerakoll é a facilidade de aplicação: a sua tecnologia especial soft-sliding permite o preenchimento total da junta, a par de uma eficaz limpeza.

    GreenLab Kerakoll
    É no seu centro de investigação para as novas tecnologias e materiais para a construção sustentável, GreenLab Kerakoll, que são realizados os estudos que permitiram criar novas soluções mais sustentáveis. Os estudos efectuados ao longo destes últimos anos sobre as propriedades de novas substâncias naturais e de outros componentes permitiram aos investigadores do GreenLab substituir, com grandes benefícios de desempenho e de sustentabilidade, os aditivos químicos e sintéticos ainda largamente utilizados no sector.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    PCA do Metro de Lisboa deixa um legado nas infraestruturas e transportes

    Vitor Domingues dos Santos, presidente do Conselho de Administração do Metro de Lisboa morreu, vítima de doença

    O Metropolitano de Lisboa informa o falecimento do presidente do Conselho de Administração da empresa, Vítor Domingues dos Santos, vítima de doença.

    Vitor Domingues do Santos presidia ao Conselho de Administração do Metropolitano de Lisboa desde 2017, funções que acumulava com o cargo de Presidente do Conselho de Administração da Ferconsult e da Metrocom.
    Foi ainda presidente do Conselho Directivo Associação Metropolitana de Operadores de Transporte de Lisboa, AMOLIS. Representou, entre outras entidades, os membros portugueses da União Internacional dos Transportes Públicos (UITP).

    Licenciado em Engenharia Civil pela faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e com MBA em Gestão Internacional pela Universidade Católica Portuguesa e PADE pela AESE – Escola de Negócios, Vitor Domingues dos Santos desenvolveu o seu percurso profissional na gestão de infraestruturas e transportes, construção civil e obras públicas.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Vila Galé inaugura hotel na Figueira da Foz; carteira para os próximos dois anos ultrapassa 60M€

    “A actividade turística na região não pode ser apenas para os meses de Julho e Agosto, tem de ser uma oferta trabalhada para todo o ano”, disse, confiante de que a abertura desta que é a 32ª unidade gerida pelo grupo represente uma importante resposta a essa necessidade

    De portas abertas desde Abril, o Grupo Vila Galé inaugurou, no último sábado, o Vila Galé Collection Figueira da Foz, um investimento na ordem dos dois milhões de euros que permitiu uma profunda remodelação do emblemático Grande Hotel da Figueira, unidade até agora gerida pelo grupo Accor.

    Em conferência de imprensa, prévia à cerimónia que contou com centenas de convidados, entre os quais o secretário de Estado do Turismo, Pedro Machado, e o autarca da Figueira, Pedro Santana Lopes, o presidente da Vila Galé mostrou-se entusiasmado com o resultado desta intervenção em tempo recorde (aproximadamente cinco meses de obras) que permitiu que um empreendimento classificado como imóvel de interesse público desde 2002 e em manifesto estado de degradação fosse transformado numa unidade 102 quartos, dois restaurantes, um bar, uma piscina exterior e ainda um Satsanga Spa & Wellness.

    Jorge Rebelo de Almeida assegura, todavia, tratar-se de uma aposta que, apesar de desafiante, é arriscada. “A Figueira da Foz não é um destino consolidado”, admite, reconhecendo, no entanto, que o potencial é enorme. “A actividade turística na região não pode ser apenas para os meses de Julho e Agosto, tem de ser uma oferta trabalhada para todo o ano”, disse, confiante de que a abertura desta que é a 32ª unidade gerida pelo grupo represente uma importante resposta a essa necessidade. Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do Grupo, concorda que há ainda um caminho a percorrer, mas revela que “quando olhamos para este destino vemos que é bastante completo: tem praia, lazer, gastronomia, história. A Figueira da Foz já se encontra hoje entre os 30 concelhos com mais dormidas, uma faixa que representa 80% das dormidas no País”. Gonçalo Rebelo de Almeida aponta ainda a centralidade da Figueira da Foz para reforçar o potencial deste destino, uma perspectiva que Jorge Rebelo de Almeida aproveita para assinalar que o passo agora assinalado, é um contributo para “melhorar a oferta hoteleira existente”. “O destino é que é importante. Não basta só abrir hotéis, é importante criar destinos”, refere o CEO do grupo hoteleiro, assegurando que, se uma região tiver hotéis que passam uma má imagem, o cliente “quando for embora, não só não vai gostar do hotel como vai extrapolar a sua análise ao conjunto do destino”.

    Nesta lógica de valorizar destinos, sobretudo acrescentando “oferta diversificada e não mais do mesmo” e duas semanas depois da inauguração da primeira unidade do Grupo em Espanha (a unidade de Isla Canela) os responsáveis do Grupo Vila Galé lembram as Casas de Elvas, que estarão concluídas até final do ano, a recuperação do palácio na Quinta da Cardiga (Golegã) ou o reforço da oferta no Brasil, nomeadamente em São Luís do Maranhão, Belém do Pará e Alagoas. A carteira para os próximos dois anos está avaliada em 60M€.

    Sobre o autorRicardo Batista

    Ricardo Batista

    Director Editorial
    Mais artigos

    Renaissance1890

    Construção

    Grupo CAFE reabilita edifício do final do século XIX em Alcântara

    O edifício, com arquitectura de estilo pombalino, deverá estar concluído no primeiro semestre de 2026. A obra está a cargo da Carlman, uma empresa do universo CAFE e a comercialização é da Remax Collection

    CONSTRUIR

    O projecto Renaissance 1890 marca o “renascimento” de um edifício de finais do século XIX, situado na Rua Prior do Crato, uma das mais importantes artérias de Alcântara é o segundo edifício a ser reabilitado naquela zona da cidade pelo Grupo CAFE. Com previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2026, a obra está a cargo da Carlman, uma empresa do universo CAFE. A comercialização está a cargo da Remax Collection.

    “O edifício Renaissance 1890 é um ícone da arquitetura, que pretende trazer
    a imponência histórica ao mercado habitacional, em Alcântara, e é uma escolha de bom gosto para quem procura investir num apartamento de charme, com distinção
    cosmopolita e combinação exclusiva da tradição com o conforto da
    modernidade, numa localização residencial premium”, refere Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX Collection.

    O edifício, cuja arquitectura ao estilo pombalino é evidente nas suas “simetrias, pés direitos altos e tectos trabalhados”, irá manter os seus “traços arquitectónicos históricos”. O projecto de reabilitação visa transformá-lo num edifício de habitação de “referência”, que conjugará a antiguidade clássica da fachada com os mais modernos padrões de comodidade e conforto nos interiores.

    O Renaissance 1890 irá contar com tipologias T1, T2 e T3 e áreas que variam entre os 63 metros quadrados (m2) e os 168 m2. Praticamente todas as unidades têm varandas que podem chegar aos 17,5 m2 de área exterior. Também a integração das janelas de sacada originais na nova estrutura dos apartamentos “convida a luz a entrar” e a recuperação das sancas, perfis e estuques trabalhados “transportam-nos para tempos imemoriais”.

    Constituído por cinco pisos, águas-furtadas e ainda áreas amplas no piso térreo, de forma a permitir a instalação de comércio e restauração, o Renaissance 1890 foi
    construído seguindo uma lógica de quarteirão.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2024 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.