Já há vencedores da edição 2020 do Roca Jumpthegap

Por a 28 de Julho de 2020

A competição de design internacional jumpthegap, organizada pela Roca em colaboração com o BCD, Barcelona Design Centre, revelou os vencedores desta edição especial 2020, focada em novos produtos ou serviços relacionados com saneamento, higiene e bem-estar num ambiente profundamente afectado pela COVID-19.

A começar na primeira edição em 2004 e ao longo de oito edições, jumpthegap apoiou o trabalho de jovens designers e arquitectos através do reconhecimento de projectos inovadores no âmbito do espaço de banho. Hoje, perante a situação causada pela expansão do coronavírus, a competição ampliou o seu foco para incluir ideias que permitam condições perfeitas de higiene pessoal em qualquer tipo de ambiente e, portanto, contribuam para impedir a propagação do coronavírus e vincar a importância de manter a boa higiene pessoal sob quaisquer circunstâncias.

O júri da edição especial jumpthegap foi constituido por Carl Hensman, chefe do programa a Água, Saneamento e Higiene de Bill & Melinda Gates Foundation (EUA); Deborah Seward, directora para a Europa do Centro de Informação das Nações Unidas (Bélgica); Luciano Kruk, fundador da Luciano Kruk Arquitectos (Argentina); Odile Hainaut e Claire Pijoulat, cofundadores do WantedDesign (E.U.A.); Isabel Roig, diretora executiva do BCD – Barcelona Design Center (Espanha); Xavier Torras, Roca Communication e Brand Manager (Espanha); Jordi Corral, Roca Global Innovation Project Manager (Espanha); e Ernest Hernandez, Roca Design Manager (Espanha).



previous arrow
next arrow
Slider



“Bubble Bump”, por Alina Pshenichnikova (Moscovo, Russia)
Um dispositivo que liberta automaticamente desinfetante líquido em forma de bolhas de sabão para assegurar que as crianças mantêm as mãos limpas e livres do risco de contágio. A sua conceção e funcionamento tornam a lavagem das mãos em algo divertido para um segmento específico da população (entre 1 a 6 anos de idade), menos habituados à higiene regular, mas com grande poder de transmissão da COVID-19. Concebido para jardins de infância e áreas infantis (centros comerciais, hospitais, etc.), tem também um sensor infravermelho para medir a temperatura corporal.
O júri valorizou que “não força um determinado comportamento, mas canaliza-o através de jogos e diversão”, e responde “à prioridade de encontrar uma solução eficiente em ambientes escolares”.

“E-Tapis”, por Hao Wang and Hanyuan Hu (Nanning, China)
Produto de limpeza inteligente para solas de sapato a ser utilizado em espaços que requerem proteção especial (hospitais, escritórios, escolas, etc.), tendo em conta que o vírus pode sobreviver até cinco dias no calçado. O utilizador fica de pé no espaço indicado, enquanto escovas com bicos são levantadas e pulverizam líquido desinfetante que limpa a sola do sapato. O dispositivo inclui também um sistema de desinfeção e limpeza com luz UV para as escovas.
O júri destaca a facilidade de utilização e a sua viabilidade técnica, bem como “a conceção do dispositivo e a sua opção de instalação tanto em espaços particulares como públicos”.

“Lux”, por Juan Restrepo (Eindhoven, Holanda)
Sistema de desinfecção inteligente que utiliza a luz UV para reduzir germes e agentes patogénicos que se podem propagar nos espaços de banho públicos. Tem sensores para controlar o movimento dos utilizadores: ao detetar que a instalação está vazia, diferentes luzes UV localizadas no teto ativam-se automaticamente, com uma capacidade de destruição patogénica de 99%. O membro do júri Odile Hainaut considera que “é uma boa resposta para garantir a segurança e higiene adequadas nas instalações de uso público”.

“OM”, por Rafael Vinader (Valencia, Espanha)
Totem sanitário que inclui um doseador automático de gel desinfetante hidroalcoólico e um sistema de infravermelho para medir a temperatura corporal a partir do pulso dos utilizadores. Apresenta um ecrã LED que mostra a temperatura e é especialmente indicado para a entrada de espaços públicos com bastante movimento.
Jordi Corral assinala que “combina dois elementos (higiene e controlo de temperatura) que vemos sempre separadamente e com muito más soluções de design”.

“UVClean”, por Lidia Grifts (Milão, Italia) e Ekaterina Epifanova (Moscovo, Russia)
Torneira equipada com uma cabine de luz UV para desinfetar objetos, como telemóveis enquanto o utilizador lava as mãos. O projeto foca-se nos objetos que podem espalhar o coronavírus; especificamente, nos telemóveis, definidos como “a terceira mão que nunca lavamos.” O dispositivo é constituído por uma torneira, um dispensador de sabão e um secador, que são ativados através do sistema sem toque, assim como uma pequena cabine para colocar itens pessoais. Enquanto o utilizador lava as mãos, os objetos são desinfetados através do sistema de luz UV, podendo ser recolhidos posteriormente com as mãos limpas e sem contacto com superfícies de risco.
O júri valorizou especialmente “a integração da higiene pessoal com a desinfeção dos objetos de uso diário, utilizando tecnologias já disponíveis no mercado e num dispositivo com uma interface muito fácil de utilizar”.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *