Saint-Gobain adquire produtora de químicos para a construção

Por a 3 de Junho de 2021

A Saint-Gobain chegou a acordo para a aquisição da Chryso, um dos principais intervenientes mundiais no mercado de produtos químicos de construção, fornecendo soluções diferenciadas e inovadoras, a partir de fundos aconselhados pela Cinven, a empresa internacional de private equity.

A Chryso fornece soluções adaptáveis de aditivos para uma construção sustentável, contando com inovação química, experiência de formulação e conhecimento de materiais de construção. A empresa emprega cerca de 1.300 colaboradores e gerou nos últimos doze meses receitas de cerca de 400 milhões de euros e um EBITDA de 85 milhões de euros.

A aquisição da Chryso enquadra-se na visão estratégica de Saint-Gobain, que assim expandirá ainda mais a presença do Grupo no mercado em crescimento de produtos químicos de construção, com vendas combinadas de mais de 3 mil milhões de euros em 66 países.

O valor da empresa de 1.020 milhões de euros representa um múltiplo de 12.0x o EBITDA dos últimos doze meses da Chryso de 85 milhões de euros e um múltiplo de 7.6x das sinergias pós-taxa de 50 milhões de euros no ano 5. A Saint-Gobain financiará totalmente a aquisição utilizando os lucros de desinvestimentos feitos pelo Grupo.

Com esta operação, a Saint Gobain consolidar a plataforma de crescimento do grupo na área dos produtos químicos de construção, beneficiando de perspectivas de crescimento sólido. A procura global de aditivos deverá crescer 7% ao ano durante o período 2021-2025, superando o mercado da construção. Nos países emergentes, a procura de soluções químicas para a Construção ainda com pouca penetração no mercado continuará a ser apoiada pela urbanização, pelo aumento dos gastos em infraestruturas, pelas soluções prontas e pelos ganhos de eficiência. Nas economias desenvolvidas, a procura será impulsionada principalmente pelos requisitos de sustentabilidade, bem como pelo desempenho da produtividade, técnica e estética.

De acordo com o que adiantam os responsáveis da empresa em comunicado, “a grande mudança para o betão de baixo carbono na próxima década será possível através da rápida aplicação de aditivos, que contribuem para a forte redução da pegada de CO2 e para a redução da escassez agregada e, portanto, ajudam ao desenvolvimento da economia circular. Os aditivos também respondem às megatendências de urbanização e às necessidades das infraestruturas, proporcionando ganhos de custos, rapidez e produtividade. A combinação de capacidades de I&D vai acelerar o desenvolvimento tecnológico da Chryso com o objectivo de estar na vanguarda de soluções inovadoras para a construção sustentável”.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *