Schneider Electric lança nova versão do software EcoStruxure

Por a 11 de Maio de 2021

A Schneider Electric, especialista na transformação digital da gestão e automação da energia, anuncia a mais recente versão do seu software EcoStruxure Power Monitoring Expert (PME). Concebido para simplificar a gestão de sistemas eléctricos complexos, a nova adição ao portefólio de Edge Control do EcoStruxure Power oferece a informação mais completa sobre instalações e aplicações de energia críticas.

O Power Monitoring Expert é um elemento fundamental da plataforma EcoStruxure Power, parte do EcoStruxure da Schneider Electric, a arquitectura de sistemas aberta e interoperável pensada para edifícios, sistemas eléctricos, indústrias e Data Centers. Esta última versão do PME aumenta significantemente a oferta de Edge Control, e é uma plataforma essencial dentro de uma rede de distribuição de energia conectada e integrada.

“O EcoStruxure Power Monitoring Expert é parte da nossa resposta à energia digitalizada. A rede actual já não é linear e conta com fontes de energia alternativas procedentes de muitos lugares diferentes. Isto pode representar uma enorme tensão para todos aqueles cujo trabalho é garantir a resiliência das empresas com um mínimo de interrupções. O PME oferece algumas capacidades novas e exclusivas que permitem a continuidade das operações, a protecção das pessoas e dos activos e a poupança de tempo e custos,” assinala Eduard Mirabet, Gestor de Oferta Ibérico EcoStruxure Power Monitoring Expert da Schneider Electric. “O PME proporciona a capacidade de adaptação ao futuro de que necessitam todas as instalações eléctricas modernas. Conecta-se a dispositivos inteligentes em todo o sistema eléctrico, desde medidores de potência e energia a relés de protecção e disjuntores automáticos, RTUs e PLCs, VSDs, UPS e equipamentos de mitigação de PQ. Actualmente o potencial da eficiência energética sem explorar na indústria ascende a mais de 50%, pelo que a nova versão do PME representa novas e enormes possibilidades para reduzir os custos energéticos e melhorar a eficiência operacional.”


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *