Remax regista o “melhor primeiro trimestre de sempre”

Por a 29 de Abril de 2021


A RE/MAX registou nos primeiros três meses do ano um volume de preços de cerca de 1,33 mil milhões de euros, relativos a 16.509 transacções, o que representa o melhor primeiro trimestre de sempre. A empresa culmina este período com um crescimento no número total de transacções (14,5%) e em volume de preços (11,4%), quando comparado com igual período de 2020. Num sector que continua a dar sinais de resiliência face ao contexto pandémico, a RE/MAX prevê uma rápida recuperação do mercado. Tal como em ciclos anteriores, continuam a ser os portugueses quem mais adquiriu ou arrendou a casa, 84,8%.

“Os resultados alcançados nos primeiros três meses do ano mostram a excelência que a RE/MAX demonstra nos mais diferentes níveis de avaliação. O crescimento de todos os indicadores económicos, a par de outros como o número de visitas ao site, angariações, agências, etc, só pode ser explicado pela qualidade do serviço prestado, pelo máximo de profissionalismo dos seus colaboradores e agências e pela resiliência face à crise pandémica. As perspectivas para este próximo trimestre são naturalmente optimistas, pelo que prevemos continuar a crescer, com o objectivo de tornar 2021 o melhor ano de sempre da rede, atingindo um crescimento a dois dígitos e superando assim, se possível, os resultados de 2019, o melhor ano de atividade da RE/MAX.”, antecipa Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX.

Aveiro, Braga e Coimbra em destaque

Numa análise por distrito e apenas considerando aqueles que registaram mais de 200 transacções, o destaque vai para os distritos de Aveiro (41,7%), Braga (36,3%) e Coimbra (31,4%), aqueles que mais cresceram face a igual período do ano passado. O Porto com um incremento de 27% das transacções, Lisboa com 8,6% e Setúbal com quase 5%, registaram também bons níveis de crescimentos, atendendo ao enorme peso que representam na rede.

No que concerne ao número de transacções negociadas por concelho neste primeiro trimestre, Lisboa lidera o top 10 com 2.118 transacções, 12,8% do total registado pela RE/MAX. Seguem-se Sintra (6,6%), Cascais (3,5%), Oeiras (3,4%), Almada (2,8%), Vila Nova de Gaia (2,8%), Amadora (2,7%), Loures (2,6%) e Braga (2,1%) – no total, os 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa representam 43,8% dos imóveis transaccionados pela rede entre Janeiro e Março deste ano. Na nona posição vem o Porto, com 2,5%.

Portugueses lideram as transacções 

Os resultados mostram que continuam as ser os portugueses que lideram o volume de transacções negociadas pela RE/MAX no primeiro trimestre do ano. Os cidadãos nacionais são responsáveis por 84,8% das compras e arrendamentos de imóveis, tendo sido registado um aumento de 14,5% no número de transacções, suportado pelo crescimento de quase 20% nas que envolveram clientes nacionais.

Os números apontam para uma quebra do peso das nacionalidades estrangeiras, que se explica pela redução do turismo, viagens e investimento internacional. Ainda assim, continuam a ser os brasileiros quem mais negoceia em imobiliário, que representaram 4,9%, a que se seguiram ingleses e angolanos, com 1% cada.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *