Professor da FAUP integra ‘mesa-redonda’ do novo movimento Bauhaus

Por a 25 de Março de 2021

José Pedro Sousa, professor da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), foi seleccionado para integrar a ‘High-level roundtable’ da New European Bauhaus, ‘um movimento baseado na sustentabilidade, acessibilidade e estética, de forma a aproximar o Pacto Verde Europeu das pessoas’.

De acordo com a Comissão Europeia, com base nos exemplos recolhidos e nas conversas que gerarão, tornar-se-á claro de que forma a iniciativa da New European Bauhaus pode impulsionar e expandir esses objetivos.

O projecto é inspirado na herança inovadora da escola de artes e arquitectura fundada pelo arquitecto Walter Gropius, na então recém criada República de Weimar (1919).

“O mote lançado pela New European Bauhaus, de evocar a Bauhaus de Weimar e não esquecer a estética na procura de soluções mais sustentáveis e económicas, é muito certeiro e inspirador”, sublinha José Pedro Sousa.

A New European Bauhaus compreende três fases que decorrem parcialmente em paralelo: concepção conjunta, realização e divulgação.

A primeira fase, a decorrer até ao Verão de 2021, pretende sistematizar ideias e dar forma ao movimento, compreende o lançamento da ‘High-level roundtable’ e a atribuição de prémios especiais a exemplos contemporâneos de excelência que combinem, de modos diversos, a sustentabilidade, a qualidade das experiências e a inclusão.

A partir de Setembro de 2021 concretiza-se a segunda fase, designada por ‘Realização’, com a criação e implementação de projectos-piloto, resultantes de convites à apresentação de propostas.

Na terceira fase, com início previsto a partir de Janeiro de 2023, a tónica será colocada na disseminação das ideias e acções que surgiram, de forma a chegar a um público mais vasto na Europa e no resto do mundo. Esta fase concretiza-se através da criação de redes e da partilha sistemática de conhecimentos entre o público, participantes e profissionais.

Por último, a New European Bauhaus prevê ainda apoiar a emergência de mercados-piloto que possam assegurar modos de vida que sejam não só sustentáveis e inclusivos, mas também caracterizados por uma beleza intrínseca.

O processo de selecção individual contou com cerca de 55 candidatos de diferentes áreas disciplinares e regiões da Europa. Este processo iniciou-se com a apresentação de um pitch sobre a New European Bauhaus e envolveu a participação em dois encontros de discussão de ideias sobre o movimento com a presença de outros candidatos.

A ‘High-level roundtable’ reúne pensadores e profissionais de, entre outras áreas, arquitectura, urbanismo, design e artes, que actuarão como embaixadores nas suas comunidades para a mobilização de ideias, e funcionarão como caixa de ressonância.

Além de José Pedro Sousa, entre os dezoito membros seleccionados para este grupo de trabalho encontram-se também os arquitectos Shigeru Ban, (Prémio Priztker 2014) e Bjarke Ingels (fundador do atelier BIG), e o artista dinamarquês-islandês Olafur Eliasson, cujo trabalho foi destaque de uma exposição recente no Museu de Arte Contemporânea de Serralves.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *