Hephaestus promete revolucionar industria de 30 MM€

Por a 14 de Janeiro de 2021

Highly automatED PHysical Achievements and performancES using cable roboTs Unique Systems – Hephaestus. O nome é algo complexo mas traduz na perfeição o que é este projecto de investigação na sua essência: um robot accionado por cabos que integra várias tecnologias necessárias a um executor multitarefa numa vertente específica de qualquer construção: as fachadas.
Financiado por fundos europeus e desenvolvido por um consórcio que integra representante indústria e do meio académico, de vários países europeus, o projecto de investigação aborda novos conceitos para introduzir o uso de robótica e sistemas autónomos no sector da construção. O seu objectivo é o de fornecer soluções inovadoras para a instalação e manutenção de fachadas, fornecendo uma solução completa altamente industrializada.
O projecto Hephaestus está a desenvolver uma plataforma robótica capaz de movimentar grandes cargas em ambientes de construção, com precisão milimétrica. O projecto explora o uso inovador de robôs e sistemas autónomos na construção, um campo onde a incidência de tais tecnologias é mínima e quase inexistente.
O sistema concebido como uma solução para a realização de múltiplas tarefas em planos verticais ou inclinados do ambiente construído e ao ar livre, irá permitir, por exemplo, levantar uma plataforma de carga e, através de ventosas, fixar, instalar ou manter pesadas paredes de cortinas de vidro.

PUB

“Os locais de construção não são ambientes estruturados. As medidas são por vezes imprecisas ou inexistentes. Nem mesmo os edifícios têm, por vezes, as medidas que se pensa que deveriam ter. É preciso referenciar de cada um dos elementos. Para isso, utilizamos câmaras fotográficas – para saber a posição exata das paredes de cortinas – e também ferramentas de geolocalização para medir a localização espacial de cada um dos elementos”, explicou um dos engenheiros que integra a equipa de investigadores, à Euronews. O sistema pode ser personalizado em função do tamanho da fachada onde o trabalho deve ser feito. As superfícies maiores necessitam de cabos mais longos e padrões diferentes na complexa teia de aranha geométrica dos pontos de desenho.

Graças à sua capacidade de executar tarefas em série, de forma totalmente automatizada e padronizada, o robô pode ser utilizado para instalar paredes de cortinas de vidro, painéis solares mas também pode contribuir para a digitalização das superfícies de construção, pintura, limpeza, substituição de elementos danificados ou reparação de fissuras.
Esta tecnologia vai permitir, de acordo com os investigadores, o aumento da competitividade do sector europeu da construção, actualmente o maior empregador industrial da União Europeia, ao criar 18 milhões de postos de trabalho directos e contribuindo para cerca de 9% do Produto Interno Bruto (PIB) comunitário.

Apesar do protótipo estar já em funcionamento os especialistas sublinham que ainda ira demorar cinco a dez anos para a tecnologia chegar ao mercado. Mas o seu impacto pode já ser calculado. Em matéria de segurança, por exemplo, esta solução poderá reduzir em 90% o número de acidentes de trabalho durante o processo de instalação e limpeza de fachadas. Ao nível dos custos a utilização desta plataforma poderá reduzir em 20% os custos de instalação e em cerca de 44% os custos anuais de manutenção e limpeza. Mas o impacto na indústria europeia de construção, uma industria avaliada em 30 mil milhões de euros, será maior se pensarmos que esta solução poderá ser facilmente adaptada a outras tarefas no sector de construção.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *