Metabuilding cria linha de apoio a PME

Por a 13 de Janeiro de 2021

Arrancou no dia 15 de dezembro o primeiro prazo para candidaturas no âmbito do projecto Metabuilding. A plataforma que integra vários países europeus, incluindo Portugal, através da PTPC – Plataforma Tecnológica Portuguesa da Construção, é financiado pelo programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia, e tem como objectivo financiar e apoiar iniciativas e projectos de inovação de PME e dinamizar o sector da construção a nível europeu.

PUB

Nesta primeira chamada que decorre até 30 de Janeiro, o programa irá financiar até 5 mil euros por projecto apresentado por pequenas e médias empresas de um dos seis países que integram a plataforma. As empresas podem candidatar a apoio os projectos cujos processos de inovação tenham aplicação no sector da construção, particularmente nas áreas de manufactura aditiva, economia circular e soluções baseadas na natureza e no digital.

Desta forma, o projecto Metabuilding pretende impulsionar a inovação das PME da construção, através da colaboração com outros sectores mais inovadores. Ao longo das suas várias edições o programa irá apoiar mais de 140 PME a nível europeu, dos sectores industriais da construção, manufatura aditiva, soluções baseadas na natureza, indústria digital e reciclagem.
Mais do que um programa de financiamento o Metabuiding foi criado com a missão de “apoiar as PME através da criação de um ecossistema colaborativo sustentável para a expansão dos seus negócios e integrador de novos setores e indústrias dinâmicos, mediante projetos de inovação trans-setorais, transfronteiriços e orientados para os desafios provenientes dos clusters regionais”. Estão envolvidos nas suas actividades seis países europeus – Áustria, França, Hungria, Itália, Portugal e Espanha -, e para a presidente da PTPC, Rita Moura, este irá permitir “concretizar as boas ideias que temos em Portugal na área da arquitectura, engenharia e construção, gerando startups e promovendo PME inovadoras”.

E este é um momento determinante para o sector da construção. Um sector fortemente empregador, mas que carece de mão de obra especializada e onde a digitalização dos processos é ainda a exceção e não a regra. 2021 será um ano exigente para o sector. Mas a expectativa de crescimento da actividade vem acompanhada de mudanças ao nível da sustentabilidade ambiental e eficiência energética da construção, entre outras. Uma tendência que já vem detrás, mas que 2020, e a pandemia, acelerou.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *