Neurociência para gerir pessoas e negócios

Por a 16 de Novembro de 2020

O dstgroup arranca esta semana com um plano de formação e small talks, destinado a promover o conhecimento na área da neurociência, da emoção e da razão junto dos seus trabalhadores. As 16 sessões, ministradas online, têm como objetivo dotar, reforçar e otimizar as competências comportamentais dos seus trabalhadores, a maioria dos quais formados em áreas técnicas e de engenharia. Este ciclo de small talks, centrado fundamentalmente em matérias e ferramentas que explicam e apoiam a tomada de decisão, vêm na sequência do programa de workshops sobre Saúde Mental, que o grupo empresarial liderado por José Teixeira promoveu junto dos seus trabalhadores, em setembro e outubro deste ano, e que terá continuidade em 2021 com formações complementares de primeiros socorros na saúde mental.

PUB

Durante o plano de formação serão abordados temas relacionados com o funcionamento do cérebro e das emoções, assim como a relação da neurociência com a emoção, a razão, a tomada de decisão, o comportamento humano e o bem-estar. O presidente do Conselho de Administração do dstgroup acredita que esta formação terá um contributo valioso na gestão dos negócios do grupo, quer em termos comportamentais quer em termos de tomada de decisão. “A neurociência configura o caminho mais viável para a gestão de pessoas e de negócios. Estou convicto que ao entender o comportamento humano, através do estudo do sistema nervoso relacionando-o com a fisiologia do organismo, os nossos trabalhadores estarão mais bem preparados para o caminho que queremos trilhar no dstgroup”, acrescentando ainda que “um número significativo de sessões vão explicar como funciona o nosso cérebro, como se desencadeia o processo biológico da decisão e de que forma podemos condicionar positivamente a decisão”. O responsável, que emprega atualmente mais de 2000 trabalhadores e opera em setores como a construção civil, energias renováveis, telecomunicações, ventures e imobiliário, acredita que “com estas ferramentas estaremos melhor preparados para pensar depressa ou devagar, na certeza de que estaremos a gerar o maior valor possível na cadeia de decisão e de negócio”.

Ciente de que uma percentagem muito significativa dos seus quadros são formados em áreas técnicas e de engenharia, José Teixeira reconhece que “a maioria dos trabalhadores envolvidos neste ciclo formativo não está treinado para determinadas competências comportamentais e nós vivemos dos nossos comportamentos, no trabalho, na vida familiar, no contexto social”, razão pela qual acredita que “a aposta nesta formação com o crivo na neurociência nos vai permitir entrar numa nova etapa onde a componente científica do comportamento passará a ser a causa das coisas”.

Formação em Saúde Mental para garantir bem-estar dos trabalhadores

Nos meses de setembro e outubro, o dstgroup proporcionou aos seus trabalhadores um plano de formação destinado a promover a adoção de estratégias pessoais que contribuíssem para o bem-estar dos trabalhadores no local de trabalho, seja em contexto de empresa ou de teletrabalho.

O primeiro bloco de formação dedicado ao tema decorreu durante sete semanas e abordou matérias como a saúde mental e o bem-estar no local de trabalho, o autoconhecimento, a comunicação e empatia e a parentalidade positiva. O bullying e a resolução de conflitos, o stress, o burnout e o worklife balance foram os temas abordados nesta formação, ministrada semanalmente online pela ENCONTRAR+SE – Associação para a Promoção da Saúde Mental.

A iniciativa juntou-se a outra ações de promoção de saúde mental que o grupo tem colocado em prática, particularmente no contexto da pandemia determinada pela COVID-19. O teletrabalho e a consequentemente mudança de rotinas que o mesmo trouxe exigiu uma maior atenção e apoio, traduzido num maior acompanhamento e na disponibilização de estratégias para manter os níveis de produtividade e a saúde mental e o bem-estar em período de isolamento.

José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do dstgroup, acredita que “é fundamental promover a saúde mental dos nossos trabalhadores, porque apenas com as forças de trabalho saudáveis, qualificadas e motivadas estaremos aptos a competir, a inovar e a diferenciar-nos num mercado global cada vez mais exigente”. De acordo com o responsável, “as empresas devem dar uma atenção especial a estas questões relacionadas com a doença mental dos trabalhadores e implementar estratégias que garantam o bem-estar dos trabalhadores, um recurso vital do país e no qual se deve investir através de uma boa educação, formação e desenvolvimento.”

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *