Hospital CUF Tejo conclui obra com gestão a cargo da Engexpor

Por a 9 de Outubro de 2020

Foi concluída a construção do novo hospital CUF Tejo, localizado em Alcântara, em Lisboa, e que se assume como uma das mais diferenciadoras unidades de saúde privadas a operar em Portugal, assente numa infraestrutura física e tecnológica moderna com uma forte componente de ensino e investigação.

PUB

A gestão da obra esteve a cargo da Engexpor, que acompanhou a execução dos trabalhos durante quatro anos, além de ter realizado a gestão de projecto desde a fase inicial de concepção. A execução de obra coube à Teixeira Duarte.

“O novo hospital CUF Tejo é uma obra de referência e foi um privilégio termos participado na sua execução. Mas foi igualmente um desafio num sector tão sensível como o da saúde. A envergadura do projecto, as características do terreno e a proximidade do rio elevaram substancialmente a complexidade técnica da obra que implicou soluções de engenharia e métodos construtivos muito exigentes. Além disso, o número e diversidade de intervenientes, numa média diária de cerca de 650 pessoas on site, obrigou-nos a um esforço acrescido para garantir o bom ritmo dos trabalhos e o controlo de custos”, comentou Miguel Alegria, CEO da Engexpor.

Esta nova unidade hospitalar substitui o Hospital CUF Infante Santo, o mais antigo hospital privado do País com 75 anos de experiência.

Ao todo, o edifício projectado pelo arquitecto Frederico Valsassina para acolher o novo hospital conta com mais de 75.000 metros quadrados (m²) de área bruta de construção, distribuídos por seis pisos acima do solo e quatro no subsolo, incluindo três de estacionamento com 800 lugares. O seu desenvolvimento implicou um investimento de 170 milhões de euros por parte da CUF.

Do total edificado, 35.500 m² são exclusivamente dedicados a áreas clínicas e de suporte, tendo sido criados 113 gabinetes de consulta e 65 gabinetes de exames, 10 salas de bloco operatório, 213 camas de internamento geral e 14 camas de cuidados intensivos.

O novo hospital, que se assume como uma referência nos cuidados de saúde em Portugal, é o primeiro no País com um modelo de organização clínica por patologia estruturado em 14 Centros Clínicos para dar resposta às doenças do futuro, nomeadamente nas áreas de oncologia, neurociências e cardiovascular.

“Terminada a obra, podemos dizer que foi um desafio superado num sector em que estamos a fortalecer a nossa actividade. E isto acontece não apenas em Portugal, sendo esta a segunda vez que prestamos serviços à CUF, mas também no Brasil, onde temos vários projectos a decorrer com alguns dos maiores operadores de saúde privada presentes neste País.”, acrescenta Miguel Alegria.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *