4,7 M€ para habitação social em Albufeira

Por a 7 de Setembro de 2020

A Câmara Municipal de Albufeira lançou o concurso público destinado à construção de 40 fogos de habitação social, em Paderne, num investimento total de cerca de 4,7 milhões de euros. Este investimento integra a política habitacional da autarquia que incluiu um conjunto mais vasto de medidas, entre elas a construção de habitações a custos controlados, aquisição de terrenos para construção, aquisição de apartamentos para arrendamento a custos acessíveis, programas de renda condicionada e arrendamento jovem, entre outro tipo de apoios, que visam mitigar o problema habitacional existente no concelho.

PUB

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira, João Carlos Rolo, refere que para além da construção destes 40 fogos em Paderne está, também, prevista a construção de mais 70 fogos em Fontainhas (Ferreiras), dois blocos com 28 fogos na Rua Samora Barros e 26 fogos junto ao Mercado Municipal dos Caliços, em Albufeira, que irão avançar até ao final do ano.

“Há uma enorme dificuldade em arrendar casa em Albufeira, sobretudo a preços compatíveis com os rendimentos das famílias e dos jovens que pretendem iniciar o seu projeto de vida, situação que dificulta, também, a fixação de profissionais em várias áreas de atividade, nomeadamente no turismo, educação, saúde e construção civil, entre outras. Por isso a habitação é uma das principais prioridades do Município que recorre a diversos instrumentos para mitigar o problema”, justifica o autarca.

Através de subsídios de apoio ao arrendamento o município comparticipa até 60% do valor total das rendas, sendo que actualmente usufruem deste apoio um total de 290 agregados familiares, num investimento anual na ordem dos 500 mil euros. Há também a destacar o Programa Mais Habitação, uma ferramenta que privilegia a construção de habitação, mas também medidas consideradas fundamentais como: a renda condicionada que prevê uma renda mensal com valor inferior ao mercado de renda livre e o arrendamento jovem, destinado a jovens até aos 35 anos.

Paralelamente, a autarquia está a desenvolver esforços no sentido de encontrar habitações prontas ou em condições de serem reabilitadas para arrendamento a preços acessíveis, bem como no que respeita à aquisição de terrenos para construção de novas habitações. José Carlos Rolo sublinha que o problema da habitação não é exclusivo de Albufeira, mas porque actualmente também faz parte da realidade do concelho “deve ser encarado como uma prioridade, uma vez que condiciona a qualidade de vida das pessoas e o desenvolvimento da economia”, afirma.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *