Trienal de Lisboa é um dos Future Architecture Rooms

Por a 25 de Agosto de 2020

Future Architecture Rooms é um novo projecto online que integra a programação  da Future Architecture Platform e que “convida” o público a espreitar os bastidores e os habitats de trabalhos das instituições que compõem esta rede da qual a Trienal de Lisboa faz parte desde a sua criação, em 2015. Esta é uma iniciativa organizada pelo MAO – Museu de Arquitectura de Design de Liubliana.

A partir de hoje, dia 25 de Agosto, e até 30 de Setembro 2020, será possível descobrir 27 organizações europeias que operam no campo da arquitectura através de salas online onde residem as suas equipas multidisciplinares. Nessas salas, os vários elementos de cada equipa apresentam um curto vídeo sobre o seu trabalho, os seus interesses, modus operandi, os seus projectos futuros. Um conjunto de testemunhos e reflexões sobre o contexto atípico em que vivemos, dando assim a conhecer os espaços de trabalho e os contextos nos quais actuam.
Entre as primeiras instituições a abrir a porta está a Trienal de Arquitectura de Lisboa que se apresenta através da sua casa, o Palácio do Sinel de Cordes. Os visitantes são convidados a ouvir os testemunhos da equipa da Trienal que, ao relatarem vários episódios que aconteceram nas salas do Palácio, revelam os seus bastidores. Elegendo o Palácio como protagonista principal, mostram onde e como se trabalha, e como este é um espaço para exposições, espectáculos, eventos mas também para receber os amigos e envolver parceiros. Estes filmes, narrados na orimeira pessoa, reúnem experiências presentes e passadas – épicas, dramáticas, alegres, assustadoras – que vão sendo reveladas numa série de histórias curtas que marcam a vivência deste edifício e consequentemente da vida e trabalho na e da Trienal.
Nesta estreia mundial, estão também abertas as salas da Fundação Calouste Gulbenkian, do S AM – Museu de Arquitectura Suíço, Bienal de Arquitectura de Tbilisi, do festival de design – Biotop, da Associação dos Arquitectos da Ístria DAI-SAI e do Architektūros fondas.
Ao todo, são 27 salas online em ligação que formam um espaço de intercâmbio em que uma espantosa diversidade de conteúdos são compilados numa plataforma dinâmica de partilha de conhecimento, ideias, e projectos que acaba por abrir, de forma privilegiada, a porta a estudos, laboratórios, salas, arquivos, espaços expositivos e bibliotecas. Um espaço de encontro virtual que reúne, em discurso directo, profissionais da curadoria, de produção, de arquitectura, entre outros agentes envolvidos em cada uma das instituições membros da Future Architecture Platform que vão desde emblemáticos museus, galerias independentes a editoras especializadas passando por entidades organizadoras de bienais/trienais.
Pensado durante o período de confinamento, o Future Architecture Rooms tem curadoria de Anastassia Smirnova e o objectivo de apresentar de uma forma pessoal as questões que todas as 27 instituições se colocam: Como se estão a adaptar-se às consequências da Covid-19? Como é que vão funcionar nos próximos meses? Nesta plataforma, todos constituem – tanto visual como metaforicamente – a sua própria arquitectura de futuro, aproveitando ao máximo a sua riqueza.
PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *