Câmara de Grândola requalifica casa Frayões Metello

Por a 14 de Julho de 2020


DR

PUB

O município de Grândola iniciou esta semana a obra de requalificação da casa Frayões Metello. O edifício, que apresenta actualmente diversos problemas ao nível do seu estado de conservação, irá receber o futuro Museu Municipal Polinucleado de Grândola e o Núcleo Museológico de Etnografia do Município, contemplando espaços para exposições de longa duração e temporárias, recepção, serviços educativos, centro de documentação, conservação preventiva e reservas para o acervo museológico.A obra foi adjudicada à Monumenta por cerca de 830 mil euros.

O edifício, segundo refere a câmara municipal em comunicado, evidencia degradação generalizada das coberturas, caleiras, rufos, remates, elementos cerâmicos do revestimento e elementos de madeira, nomeadamente os pavimentos, rodapés, tectos e suporte das telhas do corpo principal. Verificou-se ainda a existência de fissuração em paredes mestras exteriores, a degradação generalizada das construções/ampliações mais recentes, realizadas no Séc. XX, e deficiências gerais nos sistemas de abastecimento de águas, de drenagem de águas residuais e pluviais e da rede eléctrica.

A proposta de intervenção inclui a demolição de todas as construções recentes e dissonantes; substituição de caleiras, rufos, algerozes e tubos de queda da cobertura; recuperação da cobertura do edifício principal, com reaproveitamento dos madeiramentos estruturais em bom estado; remoção das argamassas deterioradas e de base cimentícia e aplicação de rebocos novos, à base de cal, seguida de aplicação de pinturas de silicatos, às cores existentes, com adição de pigmentos minerais; consolidação de fissuras em paredes mestras exteriores e interiores e reforço estrutural de paredes e fundações; limpeza, remoção de argamassas cimentícias, preenchimento de lacunas e colagem de fragmentos de cantarias das fachadas exteriores; tratamento dos gradeamentos das janelas de sacada; instalação de elevador/monta-cargas, a partir do piso térreo; construção de paredes divisórias e instalação de redes de abastecimento de águas e de drenagem de esgotos e de equipamentos sanitários nas novas instalações sanitárias; renovação das redes eléctricas e de telecomunicações; reconstrução da parte do prédio que foi demolida, destinada às reservas do núcleo museológico; execução de arranjos exteriores.

A Frayões Metello é um exemplar da arquitectura civil do século XVIII, de feição senhorial, foi residência de várias famílias da governança local. Em 1866 o Município deliberou adquirir o imóvel a Bernarda Joaquina de Sande Abelha, para aí ser instalada a Administração do Concelho, a Conservatória do Registo Civil e Predial, a Repartição da Fazenda Pública, e as Escolas do Ensino Primário de ambos os sexos. Na década de 1930 estavam ali instaladas a Repartição de Finanças, a Tesouraria da Fazenda Pública, a Escola Feminina, a Escola Masculina, e as residências dos professores. Na segunda metade do século XX o edifício foi ainda ocupado por outros serviços, nomeadamente pela Biblioteca Fixa da Fundação Calouste Gulbenkian e pela Delegação Escolar de Grândola.

Após o 25 de Abril de 1974, alguns dos restantes espaços foram disponibilizados para habitação, e outros cedidos a movimentos sociais e a uma organização sindical. A Delegação Escolar de Grândola encerrou, aqui, no ano de 2000. Desde 2004 está instalado neste edifício o Serviço de Património Histórico, Cultural e Museus do Município de Grândola.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *