Pandemia com impacto moderado nos preços do Alojamento Local

Por a 23 de Junho de 2020

As diárias médias anuais do Alojamento Local caíram 7% em Lisboa e 6% no Porto em Maio, face a Janeiro, revela o Índice do Alojamento Local (IAL)* da Confidencial Imobiliário.

Uma queda atribuída, como é expectável, à situação de pandemia. Contudo, em comunicado a CI sublinha que se “tratam de descidas relativamente contidas quer no contexto da actual conjuntura, de travagem brusca da actividade ocupacional, quer no contexto do histórico destes mercados”.

De facto, quer em Lisboa quer no Porto, é possível encontrar descidas em cadeia mais acentuadas em períodos anteriores não sujeitos às pressões inéditas desta pandemia. “Em Lisboa, observa-se uma variação de -9% em Outubro de 2017 e no Porto podem identificar-se quebras em cadeia de -16% também em Outubro de 2017 e de -11% em Outubro de 2018”. A análise refere que já em Janeiro , ainda no período pré-Covid, “as diárias médias anuais em Lisboa evidenciavam uma tendência de estabilização, com uma variação em cadeia nula, e no Porto apresentavam uma subida moderada de 2%”.

“Neste início de ciclo em que o mercado se defrontou com uma ausência praticamente total de turistas, o choque fez-se sentir sobretudo nos níveis de ocupação e no número de noites vendidas, que caíram abruptamente, sem um ajuste muito acentuado nas diárias. Com o regresso gradual da actividade turística numa nova fase progressiva de desconfinamento, é natural que passe a verificar-se uma descida mais expressiva nas diárias, até como forma de atrair maior procura”, explica Ricardo Guimarães, director da Confidencial Imobiliário.

Em termos homólogos, as diárias médias anuais do AL em Lisboa apresentam uma subida de 2% em Maio, mantendo-se em terreno positivo, mas ainda assim em forte contracção face à taxa de variação homóloga de 13% a 14% registada em Janeiro de 2020 e Outubro de 2019. No Porto, o comportamento homólogo das diárias médias anuais entrou em terreno negativo, atingindo -3%, comparando com as variações nulas que o índice registava em Janeiro de 2020 e Outubro de 2019.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *