Marcas Melom e Querido Mudei a Casa Obras em expansão

Por a 17 de Junho de 2020

As marcas Melom e Querido Mudei a Casa Obras registaram um recorde de novos contratos de franchising. Durante o mês de Maio, início do desconfinamento, as insígnias registaram um aumento de dez novos franchisados, seis da marca Querido Mudei a Casa Obras e quatro da marca Melom, com uma distribuição geográfica de norte a sul do país: quatro em Lisboa, duas em Cascais, uma em Almada, outra em Beja, uma Aveiro e uma outra em Gondomar.

PUB

Com o contexto pandémico, a Melom tem-se pautado pelo cumprimento das regras da Direçcão-Geral da Saúde (DGS), para que todos os franchisados possam trabalhar em segurança e oferecer os seus serviços de acordo com as normativas da DGS. Resultado desse esforço, em Maio a marca conseguiu recuperar para valores de pedidos de orçamentos semelhantes a igual período homólogo. Por outro lado, para Junho há já a perspectiva de crescimento face a 2019.

“Com o confinamento, as famílias passaram mais tempo nas suas casas o que conduziu a um maior desgaste das mesmas e, inclusive, despertou um olhar mais profundo nas imperfeições, tanto em termos de estética, como de funcionalidade. Com a fase do desconfinamento, os portugueses estão agora aproveitar para melhorar e aprimorar as suas casas com pequenas e grandes obras. Acreditamos, assim, que este crescimento na procura das nossas marcas vem reforçar a ideia de que existe agora um novo olhar para a remodelação de imóveis, mais exigente, que se concentra em empresas ou marcas, que incorporam segurança e credibilidade aos projectos.”, sublinha o director-geral da Melom, João Carvalho.


Tecnologia impulsiona aumento de produtividade

A pandemia conduziu a novos desafios que exigem uma adaptação do mercado. É o caso do uso mais acentuado da tecnologia aplicada ao negócio, que tem vindo a contribuir para um aumento de produtividade, visível com a venda de dez novas franquias das marcas Melom e Querido Mudei a Casa Obras, num único mês. A utilização das tecnologias para comunicação com os clientes, visualização do imóvel e da área de intervenção, até o novo serviço de orçamentação gratuita através de videochamada são exemplos da importância da tecnologia na actividade destas marcas do sector das obras residenciais em Portugal.

“Vivemos tempos excepcionais e tivemos de adaptar toda a nossa estratégia de negócio a esta realidade. Neste sentido, a tecnologia tem sido um aliado perfeito para o funcionamento das nossas unidades e no processo de expansão das marcas. Além de permitir poupar tempo à nossa actividade, ajuda a optimizar o trabalho das nossas equipas.”, refere João Carvalho.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *