Infraestruturas e investimentos em Sines em discussão

Por a 20 de Abril de 2020

Governo, empresas, investidores e Câmara Municipal de Sines estiveram em reunião, no final da semana passada, para discutirem o planeamento de infraestruturas essenciais para o desenvolvimento do complexo portuário, logístico e industrial de Sines, bem como os investimentos que as diversas empresas aí instaladas prevêem realizar no curto e médio prazo.

PUB

A reunião, que ocorreu através de plataformas digitais, contou com a presença de três secretários de Estado: Eurico Brilhante Dias (Internacionalização); Alberto Souto de Miranda (Adjunto e das Comunicações, que tutela os portos); e Jorge Delgado (Infraestruturas). Para além o presidente da autarquia, Nuno Mascarenhas, participaram também na reunião o vice-presidente das Infraestruturas de Portugal e os presidentes da Administração do Porto de Sines e da aicep Global Parques (gestora da Zona Industrial e Logística de Sines), bem como diversas empresas do ecossistema portuário e industrial de Sines, nomeadamente a PSA (concessionária do Terminal XXI), a Indorama, a Repsol Polímeros, a Air Liquide, a Euroresinas e ainda a Embraer, esta última sediada em Évora.

O Governo tem inscrito no “PNI – Plano Nacional de Investimentos 2030” verbas consignadas a novas infraestruturas que servirão Sines, nomeadamente a ligação da A26 à A2, a ligação ferroviária à linha do Sul, e sobretudo os investimentos portuários na expansão do Terminal XXI e no futuro Terminal Vasco da Gama, além da expansão da ZAL – Zona de Actividades Logísticas e diversos investimentos na área do GNL – Gás Natural Liquefeito.

“É muito positiva a iniciativa do Governo de vir discutir com as instituições e com as empresas. Que o faça numa perspectiva e dimensão política, mobilizando três secretários de Estado, é um sinal de que o investimento nas infraestruturas indispensáveis ao desenvolvimento do Complexo Industrial, Logístico e Portuário de Sines está no topo da agenda”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Sines.

Nuno Mascarenhas assinala ainda que “o Governo tem que ter consciência de que o sucesso do Complexo de Sines é vital para o crescimento económico nacional, nomeadamente à inserção competitiva do nosso país no comércio europeu e global de energia e bens”.

“Vamos continuar a acompanhar esta temática, com especial empenho na ligação em autoestrada desde Sines até à A2, não descurando a melhoria da ligação ferroviária de mercadorias indispensável à competitividade do Porto de Sines. É incompreensível que o maior porto e a maior zona industrial nacional, 40 anos depois da sua criação, não disponham ainda de adequadas infraestruturas. Acredito que com este Governo está criada uma oportunidade única para suprir esta lacuna e assim também relançar a economia da região e do País”, concluiu o autarca.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *