INE: Edifícios licenciados aumentam 19,1% no 2º trimestre

Por a 19 de Setembro de 2018

No 2º trimestre de 2018 foram licenciados 5,6 mil edifícios e concluídos 3,6 mil edifícios em Portugal. Os edifícios licenciados aumentaram 19,1% face ao 2º trimestre de 2017, registando-se um aumento de 5,4% face ao trimestre anterior. Os edifícios concluídos cresceram 17,9% em termos homólogos e aumentaram +3,0% face ao 1º trimestre de 2018.

PUB

Segundo o INE, do total de edifícios licenciados, 67,9% dizem respeito a construções novas e, destas, 75,1% destinaram-se a habitação familiar. Os edifícios demolidos (412 edifícios) corresponderam a 7,3% do total de edifícios licenciados no 2º trimestre de 2018.

Numa análise geográfica, o INE apurou que, todas as regiões do País apresentaram variações positivas face ao período homólogo nos edifícios licenciados. As variações mais elevadas registaram-se no Algarve (+61,6%), Área Metropolitana de Lisboa (+43,2%) e Região Autónoma da Madeira (+42,6%). A variação homóloga mais baixa foi observada na região Norte (+8,5%).

Obras licenciadas
No que diz respeito às obras licenciadas para construções novas em Portugal cresceram 20,0% face ao 2º trimestre de 2017, enquanto as obras de reabilitação aumentaram 18,4%. Face ao trimestre anterior, o licenciamento para construções novas aumentou 4,0% e as obras de reabilitação cresceram 10,7%.

No licenciamento para construções novas, todas as regiões apresentaram igualmente variações homólogas positivas, com destaque para as regiões do Algarve (+87,7%) e Área Metropolitana de Lisboa (+46,3%), assim como no licenciamento para reabilitação de edifícios, tendo sido registadas as variações mais elevadas na Região Autónoma dos Açores (+61,7%), Região Autónoma da Madeira (+50,0%) e Algarve (+43,9%).

No 2º trimestre de 2018 foram licenciados 5,3 mil fogos em construções novas para habitação familiar, o que corresponde a um aumento de 44,1% face ao 2º trimestre de 2017, +13,1 p.p. face à variação registada no trimestre anterior (+31,0%). A Região Autónoma da Madeira foi a única a apresentar uma variação negativa nesta variável face ao trimestre homólogo (-43,2%).

Numa análise por município, o INE concluiu que se continua a verificar uma elevada concentração do número total de fogos licenciados (considerando todos os tipos de obras e todos os destinos) num reduzido número de municípios. Os municípios com uma maior variação absoluta foram responsáveis pelo licenciamento de 19,8% do total de fogos no 2º trimestre de 2018: Porto (8,9%), Braga (4,1%), Guimarães (3,3%), Alcobaça (1,9%) e Olhão (1,6%).

Em Portugal, no 2º trimestre de 2018, observou-se um acréscimo de 19,1% na área total licenciada, em termos homólogos.

Edifícios concluídos
Quanto ao número total de edifícios concluídos (construções novas, ampliações, alterações e reconstruções), o INE registou um acréscimo de 17,9% face ao 2º trimestre de 2017. Neste período, o Instituto estima que tenham sido concluídos 3,6 mil edifícios em Portugal, correspondendo na sua maioria a construções novas (77,0%), das quais 72,2% tiveram como destino a habitação familiar.

Todas as regiões apresentaram variações homólogas positivas com destaque para a Área Metropolitana de Lisboa (+48,6%) e para o Algarve (+32,1%).
As obras concluídas para construções novas em Portugal aumentaram 30,7% face ao 2º trimestre de 2017 e as obras de reabilitação decresceram 11,3%. Em comparação com o trimestre anterior, as obras concluídas para construções novas cresceram 9,1%, enquanto as obras de reabilitação diminuíram 13,2%.

O INE esclarece ainda que, as obras concluídas em construções novas apresentaram uma variação homóloga positiva em todas as regiões. As variações mais elevadas foram observadas na área Metropolitana de Lisboa (+67,0%) e no Algarve (+50,6%).
No que diz respeito às obras concluídas para reabilitação, apenas as regiões do Algarve e da Área Metropolitana de Lisboa apresentaram variações homólogas positivas, de +3,8% e +2,5%, respectivamente. As restantes regiões registaram variações homólogas negativas, tendo os decréscimos mais elevados sido observados na Região Autónoma dos Açores (-25,0%) e na Região Autónoma da Madeira (-19,0%).

No 2º trimestre de 2018 foram concluídos 2,9 mil fogos em construções novas para habitação familiar, correspondendo a um acréscimo de 40,4% face ao 2º trimestre de 2017 (+34,7% no 1º trimestre de 2018). Com excepção do Alentejo (-0,6%), todas as regiões apresentaram variações homólogas positivas, destacando-se a Região Autónoma da Madeira (+74,1%), o Norte (+63,8%), a Área Metropolitana de Lisboa (+50,5%) e o Algarve (+46,2%).

Do total de edifícios concluídos no 2º trimestre de 2018, 69,1% localizavam-se nas regiões Norte e Centro, correspondendo a 67,5% do total de fogos concluídos em construções novas para habitação em todo o país. Na região Norte situaram-se 40,6% dos edifícios e 43,0% dos fogos concluídos. Na Área Metropolitana de Lisboa foram concluídos 11,7% do total de edifícios e 16,1% do total de fogos do país.

No 2º trimestre de 2018 verificou-se um acréscimo de 30,0% da área total construída em Portugal, face ao 2º trimestre de 2017.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *