Estratégia Urbana debate “Energia e Sustentabilidade” à luz da competitividade das cidades

Por a 21 de Janeiro de 2015

No sentido de proporcionar uma visão de como poderá cada área temática contribuir para a competitividade do território, e consequentemente de Portugal, a Estratégia Urbana – o primeiro laboratório português de inovação na área da arquitectura e do urbanismo -, lançou um ciclo denominado “As questões da Cidade”, composto por um conjunto de cinco debates e cinco subtemas. A “Energia e Sustentabilidade” estarão em cima da mesa no próximo dia 22 de Janeiro.

Nuno Sampaio, arquitecto e presidente da Estratégia Urbana afirma: “a nossa sociedade e as nossas cidades estão em constante mudança e a competitividade das cidades passa sem dúvida, pela capacidade de adaptação e inovação. A cultura e a criatividade sempre foram vistas como uma mais-valia, mas falta entender como se pode rentabilizar e fixar o know how nas cidades portuguesas para que possam ser efectivamente criativas. É urgente perceber como se podem criar estas condições.”

Nesse sentido, o encontro que terá lugar na sede da Estratégia Urbana, em Matosinhos, conta com os seguintes oradores: Jorge Moreira da Silva, Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia; António Mexia, economista, Presidente do Conselho de Administração Executivo da EDP; Isabel Santos, Engenheira na área da Energia e Ambiente, Administradora EcoChoise – Construção Sustentável; e Miguel Veríssimo, arquitecto e investigador, criador da Armadilha Solar e vencedor do Concurso BES Inovação 2007 na área de Energias Renováveis com a Janela Eco-Eficiente. A moderação está a cargo do jornalista Afonso Camões, director do Jornal de Notícias.

O tema “Energia e Sustentabilidade”, tem como objectivo abordar a importância da energia no desenvolvimento territorial e sustentabilidade das cidades, lembrando que ambos são pilares fundamentais para o planeamento, onde a arquitectura e o desenho urbano têm hoje uma responsabilidade acrescida na criação de cidades ecologicamente mais eficientes- as cidades inteligentes.

 

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *