Centro de artes de Aman

Por a 25 de Abril de 2008

Os arquitectos austríacos Delugan Meissl Associated Architects ganharam o projecto para o centro de artes performativas que irá animar culturalmente a capital da Jordânia. Mais do que um mero edifício, o Darat King Abdullah II será também um ponto de referência na paisagem da regiãoO desafio lançado foi o de criar um elemento cultural preponderante para a capital da Jordânia, Aman. A resposta mais conseguida, segundo o júri, foi a dos arquitectos austríacos Delugan Meissl que apresentaram a proposta de um edifício que terá um papel muito importante naquela cidade, funcionando como uma rica plataforma de troca de experiências e performances artísticas. Segundo os vencedores do concurso, foi pretendido, ao mesmo tempo, que o novo espaço oferecesse a calma e a concentração necessária para a fruição da música e das restantes artes. Outros dos objectivos do concurso foi o de criar um local de eleição no centro da capital da Jordânia, sendo que o complexo foi pensado para ser a "casa" das artes performativas daquela cidade do Médio Oriente. De acordo com os arquitectos vencedores do concurso, o projecto foi concebido como um local de ensaio, ensino, estudo, discussão e, sobretudo, de arte.

Na escolha do desenho pelos projectistas, foi tido em conta a criação de um edifício aberto que servirá como um espaço de convite à partilha das artes, bem como um local simbólico na sua utilização pela abertura e generosidade do convite a essas mesmas disciplinas. O projecto adapta-se ao exterior e o seu contexto é reflectindo na topografia muito especial de Aman, para além de se incluir de uma forma peculiar na malha urbana daquela grande urbe.

O edifício corporiza uma declaração viva para a música e para as pessoas de Aman: "A comunicação e a abertura (de mente), a concentração e a calma inerentes estão unidas neste telhado da música, tornando-se num guia de temáticas e de design para a criação e inspiração das novas gerações de Aman".

Ponto de referência

O edifício Darat King Abdullah II tem uma localização urbanística verdadeiramente sui generis, segundo a memória descritiva do projecto. Estando localizado na fronteira do grande município de Aman (GAM Stripe), está envolvido espacialmente com a malha urbana sendo ao mesmo tempo um ponto de partida diferencial para o vale localizado nessa zona.

O edifício funciona como uma articulação urbana e de comunicação entre os eixos Este e Oeste do município, e também como ponto entre o Norte e Sul da cidade. Ou seja, para além de uma referência cultural, é também um ponto cardeal na paisagem física daquelas paragens.

De acordo com os arquitectos, várias "pontes" estão a ser erigidas tendo em conta diversos espaços públicos em larga escala que estão a ser levantados para a conexão das áreas urbanas. Estas encontravam-se divididas pelas vias de tráfego.

Três movimentos pedestres são criados na fronteira do município, nomeadamente a via Princess-Basma, conectando o projecto a sul que por sua vez irá desembocar na grande praça em frente ao edifício que dá acesso directo ao foyer do Darat King Abdullah II.

Local de encontro

A praça, ou local de encontro de várias vias do município de Aman, está situada a cerca de seis metros acima do nível das ruas e, assim, distante dos barulhos do tráfego intenso. A praça está rodeada de restaurantes e cafés, tornando-se um grande ponto de reunião e interesse para os turistas e visitantes do espaço. A ligação directa da ponte à fronteira do grande município de Aman, torna este espaço exterior "num centro de comunicação e interacção influenciado pelas várias áreas de recreação", como explicam os arquitectos austríacos.

Segundo os mesmos projectistas, a forma do espaço desenhado elabora uma transição ideal para esta "Casa da Música". Com o intuito de criar sombra foi também criada uma transição entre o espaço exterior e o interior, a qual é continuada no foyer até à integração na paisagem, com referências às florestas do Sul do país. A transparência do edifício, a inclusão no local e a envolvência no ambiente, entre o espaço exterior e o interior, dão um especial carácter ao projecto, tornando-o num espaço vivo e utilizado quer dentro quer fora desta referencial casa das artes de Aman.
Ficha técnica

Delugan Meissl Associated Architects

Mittersteig 13/4, A-1040 Vienna, Austria

www.deluganmeissl.at/home.php

[email protected]

Atelier fundado por Elke Delugan-Meissl, de Linz, Áustria, e Roman Delugan, de Merano, Itália, em 1993. Em 2004, com a entrada de Dietmar Feistel, Martin Josst e Christopher Schweiger, torna-se no actual Delugan Meissl Associated Architects.

Projectos em curso: Porsche Museum, em Estugarda; Filmmuseum Amsterdam, em Amesterdão; FH Campus, em Viena; E-Businesspark Simmering "Simply 11", em Viena; Residential building Seitenberggasse, em Viena; Residential building Simmering, em Viena; Haus H-L, em Viena; Casa Invisibilis, em Vorarlberg; Residential building "Brauerei Liesing", em Viena; Apartment P12, em Viena; Roof extension Wien-01, em Viena; Roof extension Fill11, em Viena.

Prémios recebidos: Wimbergergasse, Building contractor prize em 2002; Global Headquarters Novartis, Contractworld Award, em 2003; Ray1, Polydecor Corian Design Award, em 2003; 04 Ray1, German Reconstruction Award, em 2004; Highrise Wienerberg, International Highrise Award, em 2006.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *