Odebrecht investe mil milhões em Pernambuco

Por a 10 de Setembro de 2007

Reserva do Paiva, o novo projecto da Odebrecht no Nordeste brasileiro, está agora a ser promovido em Portugal. Conta com um investimento de mil milhões de euros, e a construção das infra-estruturas arranca em NovembroO Nordeste brasileiro conta com um novo projecto residencial e turístico, o empreendimento de luxo "Reserva do Paiva". Para a construção da primeira fase do projecto da Odebrecht, está previsto um investimento de 150 milhões de euros e a criação de mais de cinco mil postos de trabalho. A "Reserva do Paiva" irá ocupar 530 hectares de área construída, uma extensão de oito quilómetros de praia e 500 hectares de mata.

O director de Incorporação da Odebrecht, Ruy Rego, explicou que a escolha do arquitecto, "ocorreu através de processo selectivo, onde se destacou o diferenciado currículo do arquitecto Henri Michel de Fournier". Responsável pela concepção urbanística do empreendimento, que se baseia numa política de responsabilidade ambiental, engloba a valorização dos elementos naturais, baixa densidade de construção e o baixo gabarito das edificações, Henri Michel Fournier realçou que "a Natureza permanece intocada, a arquitectura respeita a escala humana e os espaços para morar e de lazer fundem-se em perfeita harmonia".

Ruy Rego reforçou ainda que "o nosso objectivo é criar um empreendimento ecológico e economicamente sustentável, pelo que optámos por certificações ambientais, tratamento de efluentes de última geração e programas de educação ambiental, que já estão em pleno funcionamento durante as obras de construção". O director de Incorporação acrescentou ainda que "a Reserva do Paiva vai ser, sem dúvida, um cenário sofisticado, pautado pela exclusividade, simplicidade e sustentabilidade, onde é possível experimentar prazeres únicos à beira mar".

A construção das infra-estruturas terá início em Novembro de 2007, estando prevista a conclusão desta primeira etapa em Março de 2010. E, segundo Ruy Rego, está previsto que a implantação total do novo destino dure entre 12 a 15 anos. O representante Odebrecht, explicou que o investimento total do projecto será de cerca de mil milhões de euros, sendo que, na primeira fase os 150 milhões serão investidos na construção de vias de acesso e infra-estruturas, no campo de golfe, do hotel boutique e condomínios residenciais.

Sustentabilidade energética
Ao explicar as novidades introduzidas pelo projecto, Ruy Rego afirma que a Reserva do Paiva conta com a "adopção dos mais modernos conceitos de sustentabilidade ambiental: como o racionamento de energia, a reutilização de água para irrigação, o uso de materiais sustentáveis". A "neutralização do carbono da construção do empreendimento", um processo que se faz a partir do replantação de árvores que compensem a emissão de carbono com as obras do empreendimento, a "priorização de tecnologias sustentáveis, a implantação de um sistema integrado de gestão de resíduos sólidos baseado na colecta selectiva e nos princípios dos 3 R's (redução, reutilização e reciclagem), conservação da Mata Atlântica e do Mangue", são outros exemplos da sustentabilidade ambiental do projecto, indicadas pela Odebrecht.

A "dimensão e o posicionamento de alto padrão do projecto", procurado pela empreendedora imobiliária, estabelece uma relação de elevada importância com a região. "Em relação à região onde está implantado, o Estado de Pernambuco e principalmente, o município do Cabo de Santo Agostinho, o empreendimento será de altíssimo valor, devido à importância económica e, principalmente, devido às consequências positivas de geração de emprego e renda para as comunidades da região. Serão cerca de 4,5 mil empregos directos e indirectos, gerados com a construção durante 15 anos. Além de cerca de 40 mil empregos gerados após a implantação de todo o empreendimento, programas de formação continuada de pessoas, programas de educação ambiental, entre outros", explicou o responsável da Odebrecht.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *