Barreiras arquitectónicas lideram queixas ao novo provedor

Por a 12 de Janeiro de 2007

Francisco Silva Dias, o primeiro provedor da arquitectura, revelou que em três meses de posse recebeu um total de 14 queixas, sendo as mais graves relacionadas com barreiras arquitectónicas. De acordo com declarações de Francisco Silva Dias à agência Lusa, o perfil das exposições recebidas “é bastante diversificado”, contudo, “do ponto de vista estatístico, na sua maioria, as queixas resultam de conflitos entre clientes e arquitectos, mas as mais importantes e dramáticas dizem respeito ao problema das barreiras arquitectónicas, mesmo em obras recentes”. Francisco Silva Dias revelou que todas as queixas tiveram uma resposta e foram encaminhadas para as entidades consideradas competentes, nomeadamente a presidência da Ordem dos Arquitectos, os respectivos conselhos disciplinares e as autarquias. Para além deste tipo de queixas, o provedor da arquitectura revelou que entre as exposições estão também queixas sobre uma ” eventual deficiência, por parte da Ordem, na divulgação generalizada, sem distorções de vedetismo do papel do arquitecto na sociedade”, sublinhando que, “a imagem pública da profissão está subjugada a um certo vedetismo e elitismo e clamam por uma maior democratização e divulgação do papel do arquitecto na sociedade”. Francisco Silva Dias disse ainda à Lusa que está prevista a realização de uma série de colóquios sobre “Arquitectura e Cidadania” nos quais serão focadas algumas das questões abordadas nas exposições que recebeu.

PUB