Nogueira Pinto avança com orçamento da Câmara de Lisboa

Por a 13 de Dezembro de 2006

02 camara lisboa

Maria José Nogueira pinto viabilizou ontem, apesar da sua abstenção, o orçamento para a Câmara Municipal de Lisboa. A vereadora considera o orçamento mau, sublinhando que este é «um alibi para Carmona Rodrigues governar mal Lisboa».

Na opinião de Nogueira Pinto a cidade atravessa neste momento mais problemas do que no ano passado. A vereadora afirmou ao Público «que 2006 não foi um ano proveitoso para o autarca eleito pelo PSD com quem esteve até há pouco tempo coligada». Refere ainda quem em 2007 vai estar «atenta para ver se o presidente da câmara governa bem ou mal. Se governar mal, não conta com o meu voto para nada». A vereadora conta com o apoio do líder do CDS/PP, Ribeiro Pinto, que ao Público referiu que a vereadora teve a sua total concordância sobre a forma como ia votar. Socialistas, Comunistas e Bloco de Esquerda votaram contra o orçamento , enquanto que Carmona Rodrigues usou o seu voto de qualidade para o fazer aprovar.

A autarca considera este orçamento «ininteligível, inquietante, imobilista e incoerente». O documento não é explícito quanto à revitalização da zona Baixa-Chiado, um plano pelo qual Nogueira Pinto foi responsável quando ainda tinha pelouros.

799 milhões de euros é o valor das despesas que a câmara de Lisboa prevê ter em 2007, menos 10 por cento do que o orçamento para o ano em curso. Para pagar as despesas a autarquia terá de conseguir no próximo ano 311 milhões de euros de receitas de venda de património, numa altura em que o mercado imobiliário está em baixa. A reabilitação urbana foi eleita, com a cultura e o espaço público, uma das áreas prioritárias para 2007.

PUB