Rogers vence Leão de Ouro em Veneza

Por a 22 de Setembro de 2006

O arquitecto de origem britânica Richard Rogers foi o vencedor do prémio Leão de Ouro da 10ª mostra internacional de arquitectura, na Bienal de Veneza. Aos 73 anos de idade, o autor de um dos três arranha-céus a construir no Ground Zero de Nova Iorque, recebeu assim das mãos do arquitecto italiano Renzo Piano, com quem desenhou o Centro Pompidou, em Paris, o prémio pelo reconhecimento da sua carreira. Entre as obras internacionais de Richard Rogers encontra-se a participação na concepção da Praça de Potsdam em Berlim, e o complexo da seguradora Lloyds no Reino Unido. A entrega do Leão de Ouro ao arquitecto britânico abriu a Bienal de Veneza que este ano é dedicada ao desenvolvimento urbano, à planificação das cidades e à sua sustentabilidade sob o tema «Cidades, Ar_quitectura e Sociedade». A mostra de arquitectura também conta com a participação portuguesa, através de um pavilhão concebido pelo arquitecto Pancho Guedes, de 81 anos de idade, e pelo artista plástico Ricardo Jacinto, de 31 anos, denominado «Lisboscópio», inspirado na cidade de Lisboa e que funciona como um dispositivo instalado nos jardins da Bienal. Para além do pavilhão, que irá iniciar um ciclo de itinerância, a representação nacional comissariada pela arquitecta paisagista Cláudia Taborda, inclui ainda a exposição Habitar Portugal, organizada pela Ordem dos Arquitectos, e que visa documentar 18 obras realizadas entre os anos de 2003 e 2005 por arquitectos como Siza Vieira, Eduardo Souto Moura, Gonçalo Byrne e Manuel Graça Dias, entre outros. A 10ª mostra internacional de arquitectura na bienal de Veneza conta ainda com 50 pavilhões de 50 países, bem como com um programa de seminários e conferências em que participam, entre outros, Norman Foster, Zaha Hadid, Rem Koolhaas e Jacques Herzorg. A mostra de arquitectura vai se prolongar até ao próximo dia 19 de Novembro.

PUB