Portugueses candidatos ao Ibero-Americano

Por a 22 de Setembro de 2006

O Estádio Municipal de Braga projectado por Eduardo Souto de Moura, o Centro de Artes de Sines de Manuel e Francisco Aires Mateus, o Centro Cultural Casa das Mudas da Calheta, na Madeira de Paulo David, e a Unidade Industrial Inapal Plásticos em Palmela de Francisco Vieira de Campos, do gabinete de arquitectura Menos é Mais, são as obras portuguesas que integram as 30 escolhidas para a exposição e catálogo da V Bienal Ibero-Americana. De acordo com a Ordem dos Arquitectos, estas serão as obras portuguesas candidatas ao prémio de melhor obra Ibero-Americana de Arquitectura e Urbanismo 2006, que foram seleccionadas a partir de um conjunto de 20 que por sua vez foram escolhidas de um grupo de 46 que se apresentaram a concurso. De acordo com João Belo Rodeia, delegado português na bienal, «Portugal já foi premiado ao estar presente com quatro obras entre as candidatas», adiantando que «o premiado só vai ser conhecido no mês de Dezembro e o prémio vai ser a projecção e construção de um edifício público em Espanha». O júri internacional que seleccionou as 30 obras ibero-americanas era constituído por Mariano Arana, do Uruguai, pelo argentino Gustavo Azpiazu, o brasileiro Paulo Bruna, Jorge Garrido Lecca, do Peru, Mathías Klotz, do Chile, pelo mexicano Alberto Kalach, pela espanhola e presidente do júri Inés Sánchez de Madriaga e pelo seu secretário Enrique Bonilla di Tolla, do Peru. A V Bienal Ibero-americana de Arquitectura e Urbanismo vai decorrer de 4 a 8 de Dezembro de 2006 na cidade de Montevideu, no Uruguai e tem como tema «A construção da cidade: património para todos».

PUB