Lisboscópio representa Portugal em Veneza

Por a 8 de Setembro de 2006

O projecto funciona como um dispositivo efémero, de características móveis, para habitar e experimentar o espaço, que evoca Lisboa e a permanente construção da cidade

O Lisboscópio será um dos projectos que irá representar Portugal na 10ª exposição internacional de arquitectura da Bienal de Veneza, que tem inicio a 10 de Setembro. Da autoria dos arquitectos Amâncio (Pancho) Guedes e Ricardo Jacinto, o projecto partiu de um desafio lançado aos autores por Cláudia Taborda, comissária da representação portuguesa, e sob o tema da edição do evento, «Cidades, arquitectura e sociedade». O resultado é um dispositivo efémero para habitar e experimentar o espaço, que evoca Lisboa e a permanente construção da cidade. Construída com tubos, telas e madeiras precárias, o projecto foi num primeiro momento imaginado para habitar e ser habitado no Esedra, espaço nos Giardini della Biennale onde ficará localizado, sendo posteriormente formado como um corpo de características móveis. Após a Bienal de Veneza, onde Portugal terá pela primeira vez um espaço individualizado, o Lisboscópio seguirá para apresentações itinerantes, prevendo-se que possa ser mostrado durante o próximo ano na China e em Espanha.

PUB